“O Ciclista Capixaba” em Juiz de Fora

CONVITE:

Amanhã chega a Juiz de Fora, o cicloativista e blogueiro Rafael Darrouy.

Ele é de Vitória/ES e seu blog ” O Ciclista Capixaba” conta com mais de 50.000 visitas por mês.

Convidado pelo MobiliCidade JF, sairemos às ruas de bicicleta, captando imagens e documentando as situações do trafego, fazendo uma avaliação das condições atuais.

Convidamos todos os ciclistas a comparecerem na praça Jarbas de Lery (praça do Ciclista), amanhã, 23/08/13, às 9h da manhã.

http://parceiros.gazetaonline.com.br/ociclistacapixaba/

Sobre preconceitos e ciclistas

RESPOSTA À COLUNA DE SUELI ARANTES, DE 03/08/2013, DIÁRIO DA MANHÃ
 
 
 
 

Normalmente questões como sol e chuva são supervalorizados por pessoas que não tem o costume de andar de bicicleta. Em países do norte, por exemplo, a chuva é quase diária e constante, outras vezes o frio é próximo de zero, e apesar disso, a população utiliza bicicletas diariamente.

 O Brasil é hoje o quinto maior mercado consumidor de bicicletas no mundo, sendo 50% desta frota destinado a transporte (Abracico, 2007). Goiânia, por exemplo, já foi a capital nacional de uso de bicicletas, em função de sua topografia perfeita para a prática. De acordo com a divisão modal da CMTC (2006-2007), as bicicletas ainda representam cerca de 6% das viagens na cidade. O que ocorre é que o ciclista é, hoje, invisível: não estamos acostumados a percebê-los e eles estão confinados nos miolos dos bairros.

 Hoje, o trânsito é, de fato, violento contra o ciclista e, consequentemente, este é o maior fator que impede as pessoas de usar bicicletas. Por isso, uma infraestrutura cicloviária deverá reduzir riscos e a agressividade, dando abertura para muitos novos usuários. Desta forma, a cidade se torna mais democrática, e aberta para que cidadãos adotem novas práticas de sustentabilidade.

 Além disso, entende-se que um bom projeto de infraestrutura cicloviária deve prever paraciclos e percursos sombreados. Além disso, é fundamental que os destinos (empresas, escolas, instituições e terminais intermodais) possuam vestiários e bicicletários para dar apoio ao usuário. Por exemplo, no caso da UFG, já existe um vestiário destinado aos alunos, outro em construção e a previsão de construção de mais um. Ou seja, as soluções sustentáveis não são sempre as mais fáceis, mas, devem ser as que preferimos.

É preciso ter a percepção de que a cidade não é pensada apenas para a classe média ou ascendente. Muitos trabalhadores, como os da construção civil, estão acostumados a trocar de roupa ao chegar ao trabalho, tomar banho no final do dia e voltar para casa.

 É sempre bom reforçar os benefícios do uso da bicicleta:

 Benefício para o meio ambiente (redução de poluição, pouco ruído, menos consumo de combustíveis fósseis, etc), benefícios para o usuário (mais saúde, bem estar físico e mental, preço acessível, baixo custo de manutenção) benefícios para a cidade (menor necessidade de espaço público, infraestrutura barata, adequação da paisagem a escala humana, e não das máquinas, como grandes viadutos e vias expressas responsáveis por inúmeros acidentes em perímetros urbanos).

No Brasil pelo fato do automóvel ser símbolo de prosperidade e diferenciação social, a utilização da bicicleta como modo de transporte acaba sendo depreciada. Para muitos indivíduos esta utilização é considerada constrangedora, utilizando-a apenas para recreação.

por: Camilo Amaral, professor de Arquitetura da UFG / Luiza Antunes, professora de Arquitetura da UFG /  Fernando Chapadeiro, professor de Arquitetura da UEG / Ana Flávia Marú, graduanda em Arquitetura na UFG / Compõem o grupo de pesquisa e extensão Inove Mob.

Bicicletada JF na Coluna do Cesar Romero – Tribuna de Minas

BICICLETADA

Confirmada para o dia 26, mais uma edição da Bicicletada JF, movimento pacífico para chamar a atenção das autoridades sobre a importância da mobilidade urbana. Segundo Carolina Bisaggio, o ponto de encontro será na Praça Jarbas de Lery Santos, em São Mateus.

Link para a Coluna Cesar Romero no website Tribuna de Minas

Ata – Reunião Ordinária – 02/07/2013

Juiz de Fora, 02 de julho de 2013

Estiveram presentes:

Francini Lisandra Claudio da Silva
Guilherme Rodrigues Mendes
Oberdan Leite
Aline Rocha
Carolina Bisaggio
Tiago Godoy
Antonio Moreira Ribeiro

Iniciamos a reunião, falando sobre os resultados obtidos e os comentários feitos sobre a Contagem de Ciclistas dia 19/07/2013, ficamos de marcar um mutirão para trabalhar as fotos tiradas no dia citado acima.

Guilherme falou brevemente sobre o Projeto Cidades Sustentáveis, no qual enviou um e-mail em nome do grupo Mobilicidade JF para Prefeituta de Juiz de Fora cobrando a participação de Juiz de Fora, alguns integrantes também enviaram individualmente este pedido.

Em seguida a pauta foi sobre o 1 Campeonato de Subidas de JF, ficou decidido que o evento será realizado na UFJF, no dia 01/09/13 ás 10:00, o Troféu escolhido foi uma Panturrilha de Ouro, as tarefas foram distribuídas da seguinte forma:

Entrar em contato com UFJF: Tiago Godoy
Som: Aline Rocha e Guilherme
Ofício: Guilherme
Locução: entrar em contato com Leandra Lil
Parcerias e brindes: todo o grupo.

Foi dada a idéia de conseguir um banner para a arrecadação de peças para o Projeto Coletivas JF, coletes para Bicicletada JF.

Próximas pautas: Camisa Mobilicidade, Panfletagem de Educação no Trânsito e nas escolas.

E para finalizar, o grupo Mobilicidade foi convidado para participar da reunião no Sindicato dos Bancários juntamente com o Grupo Fora do Eixo, defendendo o Plano Diretor Cicloviário e Plano Integrado de Transportes.

Resultados da 1ª Contagem de Bicicletas de Juiz de Fora

No dia 19/06/2013, realizamos em Juiz de Fora a primeira Contagem de Bicicletas. A intenção da contagem é compreender melhor o comportamento dos ciclistas em nossa cidade, afim de gerar uma demanda para estrutura cicloviária, bem como otimizar os projetos cicloviários que porventura venham a acontecer.

A Contagem de Bicicletas foi noticiada no jornal Tribuna de Minas (link para a matéria).

 

Relatório Gráfico

Download do Relatório da 1ª Contagem de Bicicletas

 

Relatório de Números Absolutos

Local: Esquina das avenidas Rio Branco e Pres. Itamar Franco (Independência)
Data: 19/06/2013
Hora: 07h às 19h – 12 horas ininterruptas
Ajudantes: Aline, Anderson, Bianca, Carol, Carola, Cissa, China, Daniela, Elena, Francini, Godoy, Guilherme, Kico, Laércio, Leonardo, Nininha, Oberdan, Otávio, Renata, Tonho, Yaya

Total de Bicicletas: 1141

Hora Bicicletas / hora Média / min
07h às 08h 100 1,7
08h às 09h 92 1,5
09h às 10h 73 1,2
10h às 11h 70 1,2
11h às 12h 85 1,4
12h às 13h 84 1,4
13h às 14h 80 1,3
14h às 15h 66 1,1
15h às 16h 115 1,9
16h às 17h 102 1,7
17h às 18h 148 2,5
18h às 19h 126 2,1
TOTAL 1141 1,6
Mulheres: 24 (2%)
Homens: 1117 (98%)
Capacete: 86 (8%)
Pista de Ônibus: 45 (4%)
Carona: 6 (0,5%)
Calçada: 97 (8,5%)
Contra mão: 56 (5%)
Sk8/Patins*: 33
Elétrica/Motorizada: 26 (2%)
Cargueira: 203 (18%)
Serviço: 194 (17%)
Esportiva: 37 (3%)
Dobrável: 2 (0,8%)
Carroça humana*: 30
Carroça cavalo*: 22
Cadeirante*: 18

* Os itens marcados não foram contabilizados no total de 1141. Este número total inclui apenas BICICLETAS.

A contagem foi realizada utilizando metodologia desenvolvida pela ONG Transporte Ativo.

Notícia no Tribuna de Minas falando sobre a Contagem de Bicicletas

ONG conta mais de mil ciclistas no Centro

Entre mil e 1.200 ciclistas trafegaram nesta quarta-feira (19), entre 7h e 19h, no cruzamento das avenidas Itamar Franco com Rio Branco, no Centro, o que revela a passagem de uma bicicleta a cada um minuto e meio no local. Os números, ainda preliminares, foram divulgados pela ONG Mobilicidade JF, que realizou a contagem. A pesquisa também revelou que o horário de pico se deu entre 17h e 19h. O objetivo principal é realizar uma estimativa da quantidade de ciclistas que trafega pela cidade e apresentá-la, posteriormente, às entidades interessadas. De acordo com o presidente da ONG, Guilherme Mendes, a ação já foi desenvolvida em cidades como Rio de Janeiro, São Paulo e Manaus. O procedimento seguiu um método de contagem com base em registro fotográfico, que leva em consideração o trajeto feito pelo ciclista, bem como se ele está utilizando capacete, se usa a contramão da via, qual o tipo de bicicleta, entre outras questões.

“Vamos agora colocar esses dados em gráficos e distribuir para a Prefeitura, que baseia-se em números desatualizados para o desenvolvimento de políticas de mobilidade urbana.” Além da contagem, os voluntários da ONG realizaram pesquisas para levantar o perfil de alguns usuários e saber sobre as rotas mais frequentes, locais perigosos na cidade, motivo e frequência de uso da bicicleta, entre outros. Também durante o dia foi feito um levantamento do número de skatistas e carroceiros que passaram pelo local. Os próximos pontos de contagem serão a Avenida Rio Branco, na altura do Bairro Manoel Honório, e o cruzamento da Avenida Brasil com a Rua Benjamin Constant, no Centro.

Link para a matéria no website Tribuna de Minas

Ata – Reunião Ordinária 16/05/2013

Juiz de Fora 16 de maio de 2013.

Foi realizada na Praça São Mateus, reunião do grupo Mobilicidade com Gui, Fran, Kiko, aline, godoy e toin, para definir as responsabilidades de cada um, e as próximas ações. Um estatuto foi feito pelo Guilherme no qual ficou definido por votação a diretoria do Mobilicidade JF(serão entregues cópias assinadas á todos).

Diretor Presidente: gui

Diretor administrativo: Fran

Diretor financeiro: Kiko

Conselheiros: Toin, Liquer, Godoy e Aline

Uma reunião será marcada para a assinatura e entrega dos mesmos.

Durante a reunião ficou acordada a participa~ção do grupo no corredor cultural durante os 3 dias do evento (o revezamento de pessoal será marcado na pagina do Facebook mobilicidade.org), a contagem de ciclistas para próxima terça-feira dia 28/05/2013, foram discutidas as próximas ações do grupo como: estudo e avaliação do ITDP, Conferência das cidades, Fórum de Mobilidade Urbana(foi solicicitaado ao grupo a sugestão de nomes de palestrantes), 1 campeonato de subidas de JF, Fórum da educação ambiental de Ubá, Participação no Conpur, implementação de parcerias(comerciantes, técnicos, prefeituras, vereadores e afins) campanhas de educação no trânsito(AMIGO DO CLICLSITA) e mais envolvimentos com os projetos já existentes, coletivas, bicicletada JF,Vaga viva, Desafio Intermodal, Dia mundial sem carro.

As reuniões serão marcadas pelo facebooke via email e depois de realizadas transcritas para a ata.

Sem mais para o momento estiveram presentes: